Terapia Viva

Esta página, é dedicada para você que já pensou, pensa, quer fazer, tem um amigo que quer ou quer apenas saber o que é terapia. No caso, psicoterapia, ou terapia da mente, ou ainda os subgrupos da psicoterapia: psicanálise, psicologia, TCC, TC, TT, TVP, hipnose clínica, psiquiatria e muitos outros nomes e siglas.

Nossa intenção é desmistificar um pouco esse assunto, e tratá-lo de forma responsável, tirando-lhe um pouco da má fama injusta que as vezes é espalhada por pessoas que pouco ou nada sabem sobre o tema.

A linguagem que você vai encontrar aqui, é aquela de quem conversa com você, ajudando-o a refletir assim sobre suas dúvidas e anseios.

Preciso Fazer psicoterapia mas tenho receio

Costumamos recorrer ao médico quando adoecemos, sofremos um acidente, pegamos uma bactéria ou vírus, mas quando se trata de dores humanas, dores da mente, dores das emoções, as pessoas tendem a não recorrer ao profissional por medo de serem chamadas de “fracas”, ou pior “loucas”.

Na prática, não é nenhum, nem outro. Da mesma forma como todo organismo vivo as vezes adoece, aquilo que chamamos de mente, isto é, o conjunto de nossos pensamentos, emoções e sentimentos, também tem seus surtos, e problemas eventuais, de menor ou maior complexidade, que podem ser mais facilmente trabalhados com a ajuda de um profissional, do que simplesmente esperar que passem, ou se curem sozinhos.

E ninguém é mais fraco por recorrer ao terapeuta profissional, pelo contrário, encarar uma psicoterapia séria, exige trabalho pessoal, empenho e coragem pessoal.

A verdade é que quem passa por um programa bem feito de psicoterapia, tem mais chances de terminar melhor, mais forte e apto a lidar com a vida do que aquele que nunca passou.

Por isso pessoas que nunca teve problema algum as vezes vem fazer análise, simplesmente para se conhecer melhor, e com isso saber quais suas verdadeiras fraquezas, que podem ser melhoradas e suas virtudes, que podem ser usadas para aumentar sua qualidade de vida, tanto pessoal como profissional.

É importante saber, que assim como os médicos do corpo tem suas especialidades, os médicos da mente, ou psicoterapeutas trabalham com técnicas diferentes que vão servir mais a um caso do que a outro.

Diferentemente das doenças do corpo, onde muitas vezes o diagnóstico é simples, as questões da mente, que não necessariamente são doenças, nem sempre são diagnosticadas e classificadas, vai depender da técnica do terapeuta: psiquiatra, psicólogo, psicanalista, hipnotista, e muitos outros.

Assim se você conhecer um pouco das técnicas, fica mais fácil encontrar aquela que pode ajudá-lo (a), para isso preparamos uma página explicando várias delas. Saiba mais em Técnicas e Termos.

Nós aqui do Atitude Viva, nos colocamos a disposição para uma conversa, ou uma avaliação, sem compromisso. Ligue.

Como funcionam as psicoterapias?

São vários métodos e todos têm suas diferenças. Mas algumas coisas são comuns, como por exemplo, na grande maioria das vezes não se faz uso de remédios, a cura ou melhora ocorre através do que parece como uma conversa o terapeuta, expondo seus medos, anseios e pensamentos e respondendo as solicitações e questões deste.

Lembre-se, aí está a diferença, o terapeuta é treinado para chegar nos pontos e trata-los da forma que você precisa fazer. Não é um ouvinte comum. 

Ele ou ela, irá conduzi-lo por um conjunto de emoções, sentimentos, questionamentos e pensamentos que visam desbloquear questões dentro de você e ajudá-lo a criar novos caminhos mentais, isto é, novas conexões neuronais que irão levá-lo a um pensar mais livre, mais solto, mais maduro, capaz de responder com mais facilidade as questões da vida e do dia-a-dia.

Imagine que é uma forma de reprogramar o cérebro, onde você, junto com o terapeuta, é o grande programador do seu próprio pensar. E uma vez aprendido o processo, no futuro, espera-se que você se torne cada vez mais independente e precise menos o suporte do terapeuta. Esse é o grande objetivo da cura.

Existem casos em que há necessidade de um suporte psiquiátrico, nestes casos, algum médico ou mesmo um psicólogo já o/a orientou a procurar o psiquiatra. Quando isso ocorre a psicoterapia, associada as indicações do psiquiatra aceleram a estabilização do quadro ajudando o paciente a voltar rapidamente a uma vida normal.

Aqui cabe uma diferenciação: o psiquiatra não é necessariamente um terapeuta, ele é um médico e cuida do cérebro orgânico, e por isso usa remédios. Já os psicoterapeutas trabalham com o “pensar” e o “sentir” da mente, e para isso usam a fala, a conversa como principal ferramenta.

A grande maioria dos casos, normalmente situações marcadas por situações difíceis em nossas vidas, ou por questões corriqueiras com as quais lidamos com alguma dificuldade, mas lidamos, não são casos de psiquiatria, e sim diretamente de terapia.

Como exemplo cito problemas amorosos, problemas conjugais, problemas sociais, medo e pânico, situações de luto, coisas que sente como trauma, problemas familiares: mãe, pai, filhos, ansiedade para tudo, ou em crises, desespero, pesadelos constantes, comportamentos que você não gostaria de ter, mas tem, coisas que não consegue fazer, mas quer, dúvidas sobre sexualidade, pensamentos que não gostaria de ter, vozes estranhas, manias que não consegue perder.

Essas são todas questões da mente, que para estar sujeito a ter basta ter um cérebro.

Tem dúvidas ou está interessado, venha fazer uma avaliação, sem qualquer compromisso, trabalhamos com várias técnicas psicoterápicas, e vamos escolher com você a que mais combina com o seu caso.

Quer saber mais? Leia em Técnicas e Termos.

Não estou certo se preciso fazer terapia. Será? E se eu não fizer?

Todos nós temos bloqueios que foram criados naturalmente durante nosso crescimento, pela nossa educação, por questões sociais, informações religiosas e por decisões que tomamos quando ainda não estávamos tão bem preparados para tomá-las. Fizemos o que podíamos fazer na época, hoje talvez fizéssemos algo diferente. Mas o que aconteceu, pode ter deixado marcas.

Esses bloqueios, que normalmente nem lembramos, irão somar-se a nossos pensamentos comuns e modificá-los, gerando situações contra a nossa vontade real como coisas em nós que não aceitamos, pensamentos estranhos, repetitivos, desejos não tão tradicionais, sexuais ou não, sensação de um vazio interno, ou de que somos de outro planeta.  Não importa a questão, elas podem ser de qualquer natureza.

Todo mundo é assim. A diferença é o grau com que isso afeta um ou afeta outro, e a forma como cada um consegue lidar com isso. Na prática, damos conta da maior parte dos conflitos sozinhos.

O importante é que alguns desses bloqueios afetam diretamente aquele objetivo que temos em mente, e não conseguimos fazer nada com eles. Outros não incomodam e nem nos damos conta. Alguns se transformam em pequenas manias. Outros não nos deixam dormir.

Se todo mundo é assim o que fazer?

A estratégia é focar naquele bloqueio que atrapalha, que incomoda e impede. Que não nos deixa sentirmo-nos plenos, poderosos e livres, atuantes na vida.

Ele pode ter sido provocado por uma situação cotidiana que nem lembramos mais, uma crença que aprendemos errado, um trauma, uma perda como um acidente grave ou morte de alguém querido. Não importa. As vezes nestas situações, trabalhar com um pouco de terapia pode ajudar, existem muitas, nós utilizamos a terapia cognitivo comportamental (TCC) e a psicanálise breve e focada para resolver o problema pontual ou a psicanalise tradicional, para quem quer conhecer-se a si mesmo no íntimo e liberar todo o seu potencial.

Mas esse é o único jeito? E se eu não quero fazer terapia?

Voce pode realmente não fazer e tentar dar conta sozinho da situação, mas não seria mais rápido se tivesse ajuda profissional ? 

Tem gente que não curte, ou não combina com terapia. Ou pelo menos acha que não. 

Essas pessoas podem ainda resolver seus problemas com técnicas que lhes permitirão modificar pontos chaves de seus pensamentos. Com a ajuda da PNL e hipnoterapia consegue-se resultados rápidos e persistentes, mesmo sem esmiuçarmos as causas dolorosas.Tá curioso? leia mais em nossa página sobre Técnicas e Termos.

Já fiz de tudo e não rolou! Devo ser um sujeito sem solução…

Ah! É não. Nós sabemos que você é especial, e diferente, e provavelmente de um jeito muito mais positivo do que você mesmo acredita. Todo mundo que se empenha naquilo que quer consegue sim. E esse é maior dos truques que vamos aprender: o ser humano é curioso, e cresce, investe, naquilo que lhe causa interesse, curiosidade, chama a atenção.

Se as propostas anteriores não despertaram sua curiosidade, podemos ir pela terapia de regressão ou constelação familiar. Muitas pessoas que já “tentaram de tudo”, acabam dando uma reviravolta na própria vida com essas técnicas.

Só não consegue quem realmente desiste.

Então? Preciso fazer terapia?

Como você viu, pode ser que sim, pode ser que não. É você quem vai decidir. Nós apenas vamos orientá-lo. As vezes a psicoterapia é indicada, e pode lhe fazer muito bem, mas pode não ser o caminho que case com você ou seu momento atual, e mesmo nestas vezes, tem sempre outras saídas que vão respeitar seus valores, seus desejos, e suas necessidades e podem dar conta do recado. Por que não?

É possível falar em cura através da psicoterapia?

Certamente. Em muitos casos. Em outros existem compromissos mais severos onde se atinge apenas melhoras, sem uma cura perfeita. Em outros ainda infelizmente a tecnologia não atingiu a competência necessária.

O mais importante, é que se já não está bom, uma melhora não é uma grande vantagem? Imagine-se melhorando.

Como já dissemos, o processo depende do terapeuta e também do paciente, uma parcela da cura é sua. E muitas vezes não dá para resolver tudo não é? Senão ninguém mais teria problemas. O que estamos dizendo é que SIM, é possível melhorar, é possível mudar, é possível chegar a um resultado melhor, sentir-se melhor, estar melhor, agir melhor, e só isso, já é um ganho impagável não é? Já se imaginou num patamar melhor? Tente imaginar agora.

Venha nos visitar, agende uma consulta sem compromisso e vamos falar mais sobre o assunto.